História do Vale-tudo


O Vale-Tudo nasceu dos desafios do Jiu-Jitsu, popularizado por Hélio Gracie (atualmente com uns 90 anos) no Brasil, mais precisamente na cidade do Rio de Janeiro. Gracie aprendeu o Jiu-Jitsu em 1928 com o introdutor da modalidade no país, um conde japonês chamado Koma. De complexão franzina, Gracie foi atraído pela luta ao descobrir que poderia vencer pessoas bem mais fortes do que ele, com os golpes do Jiu-Jitsu.

"Foi a partir desta constatação que eu resolvi criar um Jiu-Jitsu brasileiro, dando ênfase à parte técnica, com golpes alavancados, como a chave-de-braço, onde a força é o que menos conta", afirma Gracie, que hoje vive mais nos Estados Unidos, do que no Brasil. Ciente da superioridade do Jiu-Jitsu sobre outras lutas, Gracie criou torneios de desafios, chamados de Vale-Tudo, dos quais participavam judocas, capoeiristas e boxeadores, cada um procurando impor a sua modalidade.

Depois de um período de obscuridade, o Vale-Tudo voltou a popularizar-se quando o filho de Hélio Gracie, Rorion, que vive em Los Angeles, assim como seus irmãos Relson, Rickson e Royce, todos campeões de Jiu-Jitsu, criaram o Ultimate Fighting, como é conhecido o torneio de Vale-Tudo nos Estados Unidos. Nele, o Jiu-Jitsu brasileiro dos Gracies tornou-se uma luta quase invencível. Os vídeos dos torneios norte-americanos foram vendidos em todo o mundo, inclusive no Brasil, motivando o aparecimento de milhares de academias da modalidade e renovando a popularidade do Vale-Tudo.

Dos 4 primeiros UFC's em forma de torneio o representante do Gracie Jiu-Jitsu; Royce Gracie, venceu 3. Os lutadores que não tinham nenhuma noção de luta no chão foram se aperfeiçoando, dificultando o reinado absoluto de Royce. O primeiro lutador que teve a percepção de que não bastava apenas Ter uma especialidade no vale-tudo foi o brasileiro Marco Ruas. Com a filosofia do "Se você agarra eu soco e chuto. Se você soca e chuta eu agarro" Ruas foi campeão da sétima edição do UFC.

Muitos lutadores brasileiros passaram pelo UFC, alguns obtendo sucesso e outros não. E nesse meio tempo foram criados vários eventos de Vale-Tudo com menor expressão no mundo inteiro.

 

O Reinado do Ultimate Fighting Champioship como melhor e maior evento de Vale-Tudo no mundo terminou no dia 11 de outubro de 1997, com a criação do PRIDE Fighting Champioship. Com bastante dinheiro para contratar os melhores lutadores do mundo , o PRIDE que é realizado em ringues no Japão, é até hoje o principal evento de Vale Tudo do mundo, deixando o UFC apenas um pouquinho para atrás.

 

Antigamente no vale-tudo literalmente valia tudo mesmo, era sem regras, justamente para não inibir o praticante de determinada arte marcial de mostrar suas abilidades. O que o tornava muito violento e sangrento, muitas vezes até pondo em risco a integridade física do atleta.

 

Mas felizmente os organizadores com o tempo foram incluindo novas regras que protegem o atleta e o espetáculo. Chamando assim mais a atenção do público.

 

O Vale Tudo ainda é visto com maus olhos pela sociedade justamente pela falta de informação. Muitos leigos ainda acham que no Vale Tudo literalmente vale tudo, o que não é verdade. Tanto é que, no Japão, os campeões do PRIDE Rodrigo Minotauro e Wanderlei Silva não podem sair na rua por causa do assédio dos fãs, já no Brasil eles na passam de ilustres desconhecidos.